Por Wander F. S. Neto

Até poucos anos atrás, ao ouvirmos a expressão “robôs”,  visualizávamos automaticamente longos braços mecânicos operando soldas, portas, dentre inúmeras outras atividades repetitivas, exatamente iguais, em longas linhas de produção. Esse modelo de produtividade e eficiência viabilizou, para vários setores da indústria, a sua sobrevivência. Com esse processo de automação foi possível reduzir custos de operação, ter uma produção constante 24 horas por dia, atender as demandas de mercado e ainda garantir a precisão de que todos os produtos fossem produzidos exatamente iguais, sem erros.

Ao mesmo tempo, outros setores de mercado, também sufocados pela necessidade de reduzir custos e atender ao constante crescimento de suas demandas internas e externas, perceberam que com apoio da tecnologia e a padronização de processos de trabalho poderiam aplicar a mesma metodologia de repetição utilizada pelos robôs das linhas de produção, em seus processos de trabalho. No entanto, ao contrário de robôs físicos seriam utilizados “Robôs Softwares”, que operam como pessoas Softwares, CRM ,ERP, Sites, Documentos, dentre outras tarefas repetitivas e padronizadas.

É aí que o RPA ou Robotic Process Automation (Automação de Processos Robóticos, em sua tradução), entrou em cena com uma abordagem de eficiência, aumento da produtividade, redução de custos, aumento do volume de operações diárias e ainda com o valor agregado de liberar profissionais para outras funções mais estratégicas.

No Brasil e no mundo o RPA tem tido participação marcante na produtividade, viabilidade financeira e operacional de empresas de vários setores, tornando-as mais competitivas. Isto porque um grande volume de serviços ou processos financeiros, administrativos, jurídicos, de atendimento, auditorias e de recursos humanos, até então executados por grande equipes, têm sido migrados para o uso desta tecnologia, realocando um grande volume de colaboradores para outras áreas, que realmente necessitam da interpretação humana para a tomada de decisões. Assim o RPA ou Robotização de Processos tem sido um forte aliado, sobretudo quando a pressão recai sobre a necessidade do aumento do volume de trabalho, aliado a redução de custos operacionais.

Se em sua empresa você possui processos que são padronizados, baseados em regras definidas, com operações totalmente executadas, interagindo dados e consultas em Softwares, Sistemas, ERPs, CRMs, Planilhas e Sites, fique atento, pois um robô poderá assumir completamente estas e inúmeras outras atividades diárias de seus departamentos.

Pontos relevantes em se analisar a implantação do RPA em sua empresa: 

  • Implantação de projetos em curto prazo;
  • Seguro;
  • Retorno veloz do ROI em até 800%;
  • Redução significativa de custos;
  • Aumento significativo da eficiência operacional;
  • Libera profissionais e equipe inteiras alocadas em atividades operacionais repetitivas que consistem basicamente em consultas, validações, cadastros, relatórios, conferências dentre outras tarefas para atividades mais estratégicas, colocando robôs para assumir esse papel;
  • Aumenta de forma impressionante o volume de operações realizadas;
  • Amplia produtividade e volumetria de operações diárias;
  • Possibilita a execução de operação 24×7, 365 dias ao ano;
  • Redução das taxas de erros humanos;
  • Flexibilidade na expansão da atuação dos robôs;
  • Facilidade na interação entre robôs, unificando e integrando ciclos completos de atividades;

Wander F. S. Neto é consultor especializado soluções e projetos para processos de automação robótica e eficiência unindo as tecnologias de RPA – Robotic Process Automation, IA Inteligência Artificial, Data Analytics e Data Visualization.

Conheça o potencial da utilização de processos de automação, fale com a DOZE Tecnologia:  061 3341-5689 | 061 99338-3106  ou comercial@dozeti.com.br